Quem sou eu

Minha foto
Além de algo mais sério, entre o riso e a cerveja.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

BBB, o programa de gente idiota?

Nunca escondi de ninguém que adoro Big Brother; e como tudo que adoro, me sinto na obrigação de procurar me informar mais sobre aquilo. Porém, além disso, eu sei que este é um programa manipulado e que Boninho decide qualquer coisa sem respeitar a vontade do público ou enganando o telespectador.

"porque eu quero! bjs"
Mas dizem que é um programa de TV feito por pessoas burras e voltado para um público de intelecto igual. Não vou dizer que a maioria dos telespectadores do Big Brother Brasil seja a mais culta, vide blogs como o da Dona Lupa (Pelo amor de Deus, né? A senhora gastou 70 mil reais contratando uma empresa de telemarketing pra, em uma edição passada, fazer um participante ganhar o programa!).

Recebi unfollow no Twitter por causa do BBB, dos meus comentários. Recebi o unfollow de um rapaz que só faz postagens iguais a de todos os outros e reclama das minhas seguirem a maré de TV comentada na internet.



Resolvi, então, fazer uma rápida análise do que é o BBB pra provar que não só de pessoas que votam em reality show como se fosse resolver as mazelas sociais é feito o público desse programa!

Vamos começar falando do início: o programa pode até ser inspirado no livro 1984, do Orwell, mas é totalmente contrário a ele por ser um programa que não é, em nenhuma instância, invasivo. Ele é evasivo. Já citei isso uma vez num texto sobre autoria. Não estamos interessados, de fato, no cotidiano dos participantes, por isso a compilação do programa exibido na TV aberta é de apenas as polêmicas que moldam o personagem que cada um irá representar no show. Assistimos o Pay Per View não para vê-los escovando os dentes, mas para sermos os primeiros a presenciar uma discussão ou uma alegação que possa nos fazer ganhar uns bons RTs no Twitter por termos sidos os primeiros a expô-la (tal como a história do Dhomini ter arrancado a machadadas os dentes de um cachorro).

Fique registrado que nem entrarei no mérito de produzir conteúdo / ser o primeiro a achar algum conteúdo e isso fazer parecer que ele é nosso (quem nunca viu briga de "eu achei isso primeiro no YouTube! Me dê os créditos!"??).

A privacidade do BBB se evade e acaba por exibir a vida de ninguém. E é esse ninguém que nos interessa, que faz podermos amar e odiar quem está concorrendo ao prêmio final. Porque se fosse a vida de alguém, a dali de dentro, não poderíamos ter os sentimentos íntimos de torcedor porque teríamos que conhecer, antes de tudo, aquelas pessoas. E não as conhecemos! Engana-se o telespectador que acha que conhece um participante porque o viu, todos os dias, na televisão. Você não o conhece. Você conhece o que a câmera permitiu que mostrasse e, além disso, o que ele decidiu abrir para os votantes de casa. Essa obsessão pela vida privada que temos hoje em dia confirma isso: a vida privada interessante é aquela que não é a literal, é a que tem tempo pra acabar e horário pra exibir-se.

Portanto, o Ninguém é a vida impessoal e comum a todas as vidas particulares. Esse é o brilho do Big Brother. Ele não mostra embates sociais dentro do programa mas, sim, fora dele: a disputa entre pobres e ricos, entre homossexuais e heterossexuais e periguetes e recatadas dentro do espaço que se passa o programa é apenas o motivador das discussões e análises que podem ser feitas do Brasil que torce por um ou outro lado, pois apenas aqui fora todo mundo é alguém, lá dentro, não.

E se não curte o programa, não dê unfollow, dê um filtro.

12 comentários:

  1. Ê honra de ter tweet meu aqui em destaque.

    Acho tediosas essa discussão, sinceramente. Quem não gosta não assiste, ponto, e se vc não gosta de Big Brother e absolutamente todos os seus amigos gostam, tem algo muito errado com a forma que vc escolhe os amigos, né?

    ResponderExcluir
  2. A fox te deu unfolou ??dona xupa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não, não fui eu, Anônimo...

      Excluir
  3. Gostei da exposição.

    Eu sou dos que não vêem esses programas. Em Portugal começaram no fim dos 90's e vi apenas um, porque era novidade e todos viam...
    Acabou, não tem mais interesse e pelo menos o que se passa em Portugal é deveras mau. Mas não sei se a realidade é a mesma.

    Mas há um filme que adoro sobre esta temática, o "The Truman Show", com o Jim Carrey, um filme de 1998 que conta de uma forma genial o que é este tipo de reality show levado ao extremo. Recomendo a quem não o tenha visto ainda.

    Quanto ao comentário que deixaste no meu blogue :-) deixo-te aqui o meu e-mail. Responde sff e falamos por lá :p
    sadeyes.gf@gmail.com

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. eu vejo tudo e assisto tudo para realmente filtrar o que me interessa alguns amigos gostam e outros não. eu vejo o programa às vezes assim como às vezes vejo a novela da Gloria Perez. acho que para falar a respeito eu tenho que no mínimo assistir.

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruno... recebi um coment seu a alguns dias atrás. Vim agradecer, já com atraso..rs. Temos sim alguns amigos em comum... prova que temos bom gosto.

    Quanto ao BBB... vou filtrar. Não assisto, mas o Sadyes realmente lembrou bem, "O show de Truman" é um filme sobre a temática, e é danado de bom.

    Gracias pela visita Bruno, sinta-se a vontade para retornar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. amo o big brother e tô chateado pq tiraram a Aline e deixaram aquela sanambaia do Ivan. Aline tinha muita promessa pra barraco nessa edição. Aprenda povo, nessa semana SALVE A ANAMARA.
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Acho a ideia do Big Brother brilhante, confinar pessoas com histórias e culturas diferentes dentro da mesma casa, porém com o passar do tempo o formato tornou-se vazio, repetitivo, uma ideia ousada, mas que peca por não ousar, a escolha dos participantes é um exemplo claro sempre mais do mesmo, estereótipos clichês, por outro lado penso que a ousadia assusta o "público brasileiro" que elimina tipos como Ariadna e Aline na primeira semana, diferente da "Fazenda", onde os mais polêmicos seguem para as finais, talvez pelo fato dos telespectadores serem formados na maioria por fãs de Reality Show e não simples telespectadores que acabaram de assistir a novela das 21h e não desligam a TV.

    ResponderExcluir
  8. Eu não tenho nada contra. E nada tão a favor... mas acho que com entretenimento serve. Hehehehe!
    E sim: comemoro todas as datas "festivas" e - tal qual mulher de TPM - marco no caderninho quem esquece delas... hahahahaha! Hugzones!

    ResponderExcluir
  9. Quem não gosta tem várias opções, uma delas é mudar de canal, e aprender a respeitar o gosto dos outros.
    Bjux

    ResponderExcluir
  10. Rs* discussão ácida por aqui , rs!
    O BBB como vs mesmo disse é manipulado e está um pouco desgastado , isso é fato , confirmado , mas ainda assim , é algo divertido , apesar de ser um tanto estúpido e ser considerado por muitos dos que se acham um pouco mais inteligente , algo também estúpido , então fica complicado.

    ResponderExcluir

"frente a uma sociedade e uma linguagem reificadas, o indivíduo afirma dolorosa, agressiva ou humoristicamente sua diferença"
Theodor Adorno